sexta-feira, 2 de março de 2012

Filosofias Educacionais para surdos


Filosofias Educacionais para os surdos no Brasil

A-   Oralismo

      É a filosofia educacional que defende, apenas, com o ensino e o uso da língua oral, através de vários métodos, tais como: verbo tonal, leitura labial e outros. As pessoas que seguem a filosofia do Oralismo, só ensinam a língua portuguesa e, geralmente, não aceitam a língua de sinais. Tem como objetivo aproximar o surdo, ao máximo, ao mundo dos ouvintes.

B-   Comunicação Total

         É a filosofia que procura desenvolver todas as habilidades da comunicação, tais como: a fala, a audição, os sinais, leitura, escrita e outros recursos. A Comunicação Total usa muito o “Bimodalismo”.
   B.1- É a utilização simultânea das duas modalidades da língua: oral-auditiva e gestual-visual, misturando as duas línguas e deformando-as.
     
   C- Bilinguismo

         Defende o uso de duas línguas pela mesma pessoa. O surdo que sabe a língua de sinais e o português é bilíngue. Basicamente, bilinguismo é o aprendizado da Língua de Sinais separado de outra língua.

   D-   Pidgin

          É a utilização de palavras de uma língua com a estrutura de outra. O pidgin surge do intercâmbio de uma língua com outra e o encontro de duas estruturas linguísticas, onde uma se sobre põe à outra.

Fonte:  MORAL, Silvia Janaina. Quebrando o silêncio: um breve documentário sobre o mundo dos surdos. Itu: Ottoni Editora, 2005.

Nenhum comentário:

Postar um comentário